Utilizamos cookies de terceiros para melhorar nossos serviços. Se você continuar navegando, consideramos que aceita seu uso. Pode obter mais informação em nossa política de cookies.

Fechar

Ir para Menu Principal. Ir directamente para o conteúdo principal (Tecla de acesso S)

Fim da secção Utilitários

Você está em:

  1. Comunicação
  2. Comunicados à imprensa

Comunicados à imprensa

Início do conteúdo principal

A Isolux Corsán continua seu crescimento na África com novos contratos em Ruanda, Tanzâni, Uganda e Congo.

Categoria: Energia / 5 de Fevereiro de 2014

  • Adjudicados novos projetos de T&D no valor total de 86 milhões de euros.
  • O Grupo, presente em 13 países do continente africano, desenvolve importantes projetos na África do Sul e Quênia
  • Partilhar:

A Isolux Corsán venceu a concorrência de quatro novos contratos de T&D em Uganda, Tanzânia, Ruanda e Congo, no valor conjunto de 86 milhões de euros, consolidando assim sua atividade na região e incrementando o número de operações que o Grupo desenvolve neste continente estratégico.

Em Ruanda, a empresa executará para o cliente Electricity, Water and Sanitation Authority (EWSA) o fornecimento e instalação das novas subestações de 220 kV de Birembo, Shango, Gisenyi e Kibuye que permitirá a interligação elétrica de este país ao Congo, dentro do programa regional da NELSAP. Financiado por AFDB (African Development Bank) e KfW (Instituto de Ajuda ao Desenvolvimento), tem um orçamento de 26 milhões de euros e um prazo de execução de 22 meses.

Em Tanzânia, o contrato assinado inclui o fornecimento e instalação dos sistemas de média e baixa tensão do distrito de Njombe e da região de Ruvuma, correspondentes aos dois lotes de distribuição no âmbito do projecto de T&D Makambako-Songea. Este contrato, adjudicado por Tanzania Electric Supply Company Ltd. (TANESCO), conta com um prazo de execução de 24 meses e um orçamento de 26 M€ que serão financiados pela Swedish International Development Agency (SIDA).

O projeto a desenvolver em Uganda, de 26 milhões de euros, consiste no fornecimento e instalação das novas subestações de Mirama e New Mbarara, e a extensão das de Bujagali e Tororo, para a interligação elétrica de Uganda à Ruanda e Quênia em um prazo de 20 meses. Incluído no programa regional da NELSA, é financiado por Africa Development Bank (AFDB) e Japanese International Cooperation Agency (JICA).

Por último, no Congo, a Societé Nationale d’Electricité (SNEL) adjudicou à Isolux Corsán por 8 M€ o contrato para o fornecimento e instalação da nova subestação de 220 kV de Goma para a interligação elétrica do Congo à Ruanda, que também faz parte do programa regional da NELSAP.

Crescente presença no continente africano

 A estratégia de expansão internacional desenvolvida nos últimos anos permitiu ao Grupo aumentar sua presença na África, onde realiza importantes projetos que se encontram atualmente em execução. No Quênia, a Isolux Corsán constrói a maior linha de transmissão de energia elétrica em alta tensão e uma das maiores da África, com uma extensão de 428 quilômetros e uma tensão de 400 kV. O montante deste contrato EPC, assinado com a empresa pública Kenya Electricity Transmission Company (Ketraco) é de 142 milhões de euros.

Na Argélia, o Grupo construiu o bonde de Orã, uma infraestrutura ferroviária com 18,7 quilômetros de via dupla e 32 estações com capacidade para transportar a 90.000 passageiros por dia com um orçamento de 355 milhões de euros e está executando a primeira linha do bonde de Mostaganem. Neste país desenvolve diversos projetos como a construção do hospital de Draria, em Argel, com 240 camas, a nova estação de tratamento e o coletor de esgotos de Mohammadia, a subestação de Khenchela, a adução de água da dessalinizadora de Mostaganem, a estação de tratamento de El Bayad e a adução de água da estação de tratamento de Mactaa. A empresa também está desenvolvendo nesse mesmo país a construção da sede do Ministério de Assuntos Religiosos e a estação intermodal de Bir Mourad Rais.

Em Angola também executou diversos projetos energéticos como a usina elétrica flutuante de Luanda de 100 MW, a Usina Térmica de Futila e a primeira linha de transmissão de 400 kV que transporta a eletricidade produzida na barragem de Capanda até a capital, Luanda.

Por último, o Grupo assinou seu primeiro contrato na África do Sul para a construção na cidade de Boshof de uma usina solar fotovoltaica de 60 MW, uma subestação e as instalações necessárias para a ligação à rede ESKOM 132 kV.

Com estes novos mercados, a Isolux Corsán opera atualmente de forma estável em 13 países africanos: Angola, Argélia, Congo, Gabão, Quênia, Marrocos, Mauritânia, Moçambique, Tanzânia, Ruanda, Senegal, África do Sul e Uganda.

  • Partilhar:

Pesquisa de notícias

dd/mm/yyyy

dd/mm/yyyy

Fim do conteúdo principal

  • Início do conteúdo